Domingo, 1 de Novembro de 2009

Floribella

 

Ainda existem bruxas...

Hoje ainda existem contos de fadas...

Ainda existem Cinderelas...

No Mundo das Fadas Encantadas.
 Anaflor Valente é uma rapariga em tudo extraordinária. Sempre acreditou em fadas. Que elas não só existem como nos protegem e estão lá, nos momentos mais difíceis. As fadas e todo o seu mundo mágico, onde as coisas que parecem impossíveis se tornam fáceis, estão sempre com ela. Flor, como todos a conhecem, perdeu a mãe em criança, o pai sempre esteve ausente. A vida não lhe foi fácil. Não teve tempo para estudar ou para brincar, como as outras crianças, mas aprendeu a fazer frente aos desafios e a vencê-los, das maneiras mais originais que se possa imaginar.

 

Um sonho e uma história de amor
Flor tem um sonho. Quer cantar. Os amigos mais próximos, Bata, Flip, Clara e Xana têm uma banda, que atravessa uma crise. Vão ter uma audição importante e a vocalista acaba de abandonar o grupo. Flor agarra a oportunidade. Nessa noite, a banda consegue um concerto. Vão tocar a casa de uma família rica. São os Fritzenwalden. E é lá que Flor conhece Frederico. Há muito tempo que Flor sonhava com o seu príncipe encantado. Imaginava-o alto, louro, de olhos verdes, penetrantes. Quando Flor vê Frederico pela primeira vez, sabe que é ele o seu príncipe, o homem da sua vida. E nunca mais o vai esquecer.

Frederico Fritzenwalden é o mais velho de seis irmãos. Nasceu no seio de uma família luso-alemã da capital. O pai fez fortuna no ramo da engenharia. Fundou um império de empresas e deu aos filhos uma educação germânica, rígida, formal, conservadora. Tinha uma paixão, voar, e passou-a a Frederico. Mas a tragédia abateu-se sobre os Fritzenwalden. Durante um voo de recreio, o pai perdeu os controlos da avioneta que pilotava e despenhou-se. A morte do patriarca dos Fritzenwalden deixou Frederico à frente dos destinos da família. Encheu-o de responsabilidade e retirou-lhe a juventude.

Tal como Flor, Frederico perdeu a mãe muito cedo. Helena Fritzenwalden sempre fora para Frederico o lado do sentimento, da ternura. Frederico perdeu esse lado. E só o vai reencontrar quando conhecer Flor.

 

As bruxas más
O problema é que Frederico tem uma namorada e vai casar. Delfina Rebello de Andrade conhece Frederico desde que eram miúdos. A mãe dela, Magda, era amiga de Helena Fritzenwalden e é a madrinha de baptizado de Frederico. Delfina e Frederico viveram os dois últimos anos juntos, na Alemanha. Frederico estava a completar uma pós-graduação e Delfina foi viver com ele. Regressam a Portugal para casar e Delfina vai viver para a casa dos Fritzenwalden, com a mãe e a irmã, Sofia.

Os irmãos Fritzenwalden

As coisas na mansão já correram melhor. Helga, a governanta, sempre cuidou das crianças, e conhece os mais pequenos desde que nasceram. Impôs-lhes a disciplina que o pai Fritzenwalden sempre defendeu e ofereceu-lhes uma dedicação extrema. Mas nunca conseguiu dar-lhes o carinho de que precisavam. Agora já não dá conta do recado. A juntar à crescente rebeldia adolescente de Maria, a única rapariga, tem agora de lidar com o isolamento de Martim, um génio precoce e problemático, e com as tropelias do pequeno Tomás, o terror da casa. Só Henrique parece ter juízo. Mas não passa de aparência. Henrique não olha a meios para conseguir uma namorada, e muitas vezes mete-se em asneiras piores que as dos mais pequenos. O problema de Henrique é que, ao contrário do seu irmão gémeo, Afonso, não tem a mesma facilidade com as raparigas, nem o mesmo charme. Henrique percebe de computadores e é um craque nos estudos. Afonso é piloto de karting, atlético e bonito, e nunca ligou muito à escola. E, enquanto Afonso colecciona namoradas, Henrique colecciona frustrações. É que são gémeos falsos.

Flor e os irmãos Fritzenwalden


O que os Fritzenwalden estão a precisar é de alguém que devolva à casa a alegria, o amor e a harmonia que a povou no passado. Por obra do destino, essa pessoa vai ser Flor. A partir do momento em que entra em casa dos Fritzenwalden, Flor começa a viver o seu conto de fadas. O seu príncipe, que parecia inacessível, está cada vez mais próximo. E as bruxas más, Magda e a sua filha Delfina, de tudo farão para a impedir de realizar o seu sonho. Além disso, as crianças já a colocaram no lugar que a mãe deixou vago e Flor sente-se cada vez mais ligada a elas.

A Praça dos Amores Perfeitos 

Flor vai viver entre a mansão dos Fritzenwalden e a Praça dos Amores Perfeitos, onde habitam os amigos, onde a banda tem o seu local de ensaios e onde vive e trabalha Tita, a grande amiga da falecida mãe de Flor,  e uma espécie de segunda mãe para ela. Tita está sempre pronta para ajudar Flor quando ela precisa, sem pensar duas vezes. Na Praça dos Amores fica também o «Chá de Letras», uma livraria-café, transformada em local de encontro da banda e por onde passam todas as histórias. Pascoal, o dono e mentor do espaço, é uma personagem rara. Trata os livros como se fossem seus filhos e faz questão de vigiar de perto quem os compra, recusando-se mesmo a vender livros a certas pessoas, se não lhe agradam.
A história de Flor é a história da Cinderela dos tempos modernos. Ou de como o amor vence tudo, mesmo as barreiras impossíveis. Conseguirá Flor ganhar o amor do seu príncipe? Ou será o poder do mal mais forte do que o poder das fadas?

Uma coisa é certa: Flor não vai desistir de ser feliz e de fazer felizes todos os que a rodeiam.

publicado por sic às 20:53
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Lua Vermelha

. Perfeito Coração

. Podia Acabar o Mundo

. Rebelde Way

. Resistirei

. Chiquititas

. Floribella 2

. Vingança

. Jura

. Floribella

.arquivos

. Julho 2010

. Novembro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds